03 de agosto de 2020

O não ser como forma de ser: mulheres. Somos de nós e por todes!*

Autor: Paloma Silveira**


Identidade
Ventres que
Gritam, Metralhados
Partos Lacrimosos
Salpicam ...
Eis a hora que ainda
Ladra sucinta a agonia
De um berço de Brasis a
Exasperar tua tonalidade plural em
Assistencialismo.
Eis a mulher rente a sua
força, conduta a rebater
O atropelamento de
Descaso a sua vil
Existência.
Shaina Marina
(Integrante do grupo Nós, as Poetas!)

 

Nesta pandemia/pandemônio, o mundo que já era bem hostil e violento conosco, mulheres, tem se tornado cada vez pior. Viver em lugares onde se reproduzem diferentes opressões machistas, racistas, LGBTfóbicas, capacitistas, dentre outras, que se articulam e conformam o não ser como forma de ser, impõe às nossas existências distintas rexistências. Ao longo das nossas vidas, ouvimos constantemente “nãos”. Não faça isso! Não seja assim! Isso não é adequado para você! Você não é uma mulher! Mulher não pode!


Nesses “nãos” também encontramos os “sins”, pois eles estão imbrincados, já que quaisquer normas sociais são construídas incluindo seus opostos. No caso, até os “sins” se configuram como uma maneira de não ser. Seja mãe! Boa mulher, mãe e esposa! Trabalhe e cuide da casa! Você é a base da Sua Família! Cuide dos outros! Dentro desse não ser como forma de ser somos de senhores e sinhás, de maridos e patrões/as, de filhos/as e pais, do Estado, do abandono e de nós mesmas? “Nossas” vidas são determinadas, em boa medida, por esses outros. Controles explícitos e sub-reptícios, por vezes travestidos por algum tipo de amor? Somos/fomos tolhidas e domesticadas para servir e cuidar, porém, sempre rexistimos.

 

Leia aqui o texto na íntegra.

 

*Dedico este texto a todas as mulheres que me constituíram, minhas ancestralidades, e que me constituem. Agradeço a leitura, contribuições e incentivos de Aninha, Gurgel, Emanuelle Góes, Leonildo Silva, Carmen Teixeira e Jairnilson Paim.
**Mulher cis, heterossexual, reconhecida socialmente como branca, professora, psicóloga e às vezes artista. Mestra em Psicologia pela UFPE e Doutora em Saúde Coletiva pelo ISC/UFBA.

 

 



122 views
comentários
compartilhar

Não existem comentários!

Postar um comentário


Antes de postar, por favor, leia nossos termos de uso.




Li e concordo com os termos de uso.

Termos de uso para publicação de comentários nos sites do OAPS e CDV


Estes são os termos de uso que orientam nossa relação no site Análise Política em Saúde, especialmente no espaço destinado a comentários. A leitura destas diretrizes é fundamental para compreensão da proposta deste espaço de discussão.


O espaço para comentários está destinado exclusivamente ao compartilhamento de informações, experiências e dúvidas, além de análises e reflexões críticas sobre temas relacionados ao objeto do Projeto Análise de Políticas de Saúde no Brasil (2013-2017), conforme disposto em documento disponível para consulta e download aqui http://analisepoliticaemsaude.org/oaps/quem-somos/apresentacao.

Todos os comentários passam por um processo de moderação antes da publicação com o objetivo de verificar a adequação aos seguintes termos de uso:

Não serão permitidos comentários que divulguem ou incentivem a) ações ou ideias discriminatórias em razão de raça, gênero, orientação sexual, religião, crença, deficiência, etnia, nacionalidade ou condição social; b) desrespeito à Legislação Brasileira; c) assédio, perseguição, ameaças, intimidações ou chantagem a terceiros; d) spams, conteúdos promocionais e mensagens com fins comerciais ou publicitários; e) materiais com vírus, dados corrompidos, ou qualquer outro elemento nocivo ou danoso; f) violação de propriedade intelectual ou industrial de terceiros. São expressamente proibidos comentários com palavrões ou qualquer tipo de linguagem ofensiva e/ou obscena.

Instituto de Saúde Coletiva • Universidade Federal da Bahia • Rua Basílio da Gama, s/n • Campus Universitário do Canela • 40.110-040 • Salvador-Bahia • +55 71 3283-7441 / 3283-7442
© 2020 Observatório de Análise Política em Saúde. Todos os direitos reservados.