APRESENTAÇÃO DO EIXO
PRODUÇÃO CIENTÍFICA
PRODUÇÃO TÉCNICA

Estudos e Pesquisas em Políticas de Ciência, Tecnologia e Inovação em Saúde

Coordenação:
Profa. Dra. Erika Aragão ((ISC/UFBA))
Prof. Dr. Sebastião Loureiro (ISC/UFBA)

Análise da Política de Ciência, Tecnologia e Inovação em Saúde e de sua implantação nas esferas dos governos federal, estaduais e locais, assim como de seus efeitos na oferta, na demanda, na incorporação e no acesso ao conhecimento científico e às tecnologias em saúde, particularmente no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS).


Pesquisas

1. Colaboração e inovação na área de biotecnologias aplicadas à saúde humana

Objetivo Geral

Há um consenso de que a inovação em indústrias intensivas em conhecimento é um processo essencialmente coletivo. Especificamente na área de biotecnologias, a colaboração interinstitucional e interdisciplinar é um dos elementos que diversos autores têm identificado como um fator determinante para a inovação do setor. Estas têm se dado mediante articulação em redes. Assim, parcerias são determinantes para a competitividade das empresas que atuam neste segmento e a análise dessas redes constitui um passo importante para compreender sua dinâmica de inovação. Buscando elucidar o papel das colaborações na dinâmica de inovação na área de biotecnologias aplicadas à saúde humana, esta tese tem três objetivos principais: 1) descrever o papel das redes de P&D no processo inovativo do setor. 2) Analisar as redes científicas brasileiras de coautoria na área e 3) Discutir o processo de inovação e a evolução do mercado de medicamentos contra o câncer. É um esforço para trazer à saúde coletiva elementos teóricos e metodológicos capazes de ampliar o entendimento da dinâmica de inovação numa área de grande impacto social.


Pesquisador(es): Erika Santos de Aragão
Coordenação: Prof. Dr. Sebastião Loureiro (ISC-UFBA)

Produção Científica
Produção Técnica - em elaboração

2. Distribuição da tomografia computadorizada e grau de utilização do tomógrafo computadorizado no Sistema de Saúde Brasileiro

Objetivo Geral

O objetivo deste estudo foi analisar a distribuição da oferta da tomografia computadorizada e do grau de utilização do tomógrafo computadorizado no SUS. Foram utilizados os dados de população, número de tomógrafos e produção de tomografias dos prestadores SUS públicos e privados conveniados, de todas as Unidades Federativas do Brasil, no ano de 2009. 


Pesquisador(es): Diana Lima dos Santos
Coordenação: Prof. Dr. Handerson Dourado Leite (ISC-UFBA)

Produção Científica
Produção Técnica - em elaboração

3. Paradigmas e trajetórias tecnológicas em saúde: mídia, acesso e o cuidado do diabetes

Objetivo Geral

As inovações tecnológicas são introduzidas pelas empresas no mercado de produtos e serviços, e as estratégias para a geração dessas inovações concentram-se nas atividades de Pesquisa, Desenvolvimento (P&D) e Marketing. Na saúde, a incorporação dessas inovações tem contribuído para o aumento nas demandas por serviços públicos, tecnologias e insumos no sistema de saúde. A partir da metodologia de natureza qualitativa, descritiva e exploratória, busca-se, neste estudo, responder às seguintes indagações: Houve mudança de paradigma ou de trajetória tecnológica ao longo desse período? As inovações incorporadas foram incrementais ou radicais? Quais as evidências dessa direção? O presente estudo tem o objetivo de traçar as trajetórias tecnológicas dos antidiabéticos lançados no Brasil para o controle do diabetes, no período entre 1998 e 2012. Como hipótese afirma-se que no período analisado não houve quebra de paradigmas; mas, ao longo das trajetórias tecnológicas dos antidiabéticos ocorreu a incorporação de inovações incrementais, seguindo a lógica própria e inerente ao processo de inovação tecnológica. A partir dos dados levantados, e considerando o conceito de paradigma tecnológico como um modelo e um padrão de solução de problemas tecnológicos selecionados, conforme definido e apresentado na Introdução deste trabalho, foi então, possível se constatar que não houve mudança de paradigma para o cuidado do diabetes, e que os antidiabéticos lançados apresentaram inovações incrementais ao longo dessas trajetórias tecnológicas.


Pesquisador(es): Jane Mary Medeiros Guimarães
Coordenação: Prof. Dr. Sebastião Loureiro (ISC-UFBA)

Produção Científica
Produção Técnica - em elaboração

4. Regulamentação da incorporação de biotecnologias ao SUS

Objetivo Geral

O processo acelerado de desenvolvimento de tecnologias para os sistemas de saúde, principalmente os medicamentos, equipamentos médicos e materiais diversos, representa um dos fenômenos mais importantes ocorridos na área da saúde nos países desenvolvidos nas últimas décadas. A introdução de novas tecnologias nos sistemas de saúde é responsável por parte significativa do aumento dos gastos com saúde verificados mundialmente. Por causa de seu alto valor, os produtos biotecnológicos respondem por parcela importante dos gastos do Sistema Único de Saúde (SUS) com medicamentos. A regulação da incorporação de novas tecnologias em saúde constitui elemento central nos modernos sistemas de atenção à saúde, tendo como principais abordagens a redução dos efeitos negativos das mesmas, seu impacto sobre os custos, e o direcionamento dos aspectos éticos e sociais envolvidos na utilização do conhecimento técnico-científico moderno. Considerando a importância de regular o processo de incorporação de novas tecnologias em saúde, o objetivo deste trabalho é caracterizar a regulamentação da incorporação de biotecnologias ao SUS. Para tanto foi realizada pesquisa descritiva visando descrever o processo de incorporação de tecnologias ao SUS e análise das especificidades da regulamentação referente à incorporação de biotecnologias.


Pesquisador(es): Rose Katharine Borges Sales Couto
Coordenação: Prof. Dr. Sebastião Loureiro (ISC-UFBA)

Produção Científica
Produção Técnica - em elaboração

5. Telessaúde – potencialidades e desafios de um projeto de incorporação de tecnologias de informação e comunicação em saúde na Bahia

Objetivo Geral

Considerando que a incorporação de tecnologias de informação e comunicação (TIC) no Sistema Único de Saúde (SUS) enfrenta desafios relacionados ao contexto políticoinstitucional, às particularidades das características regionais, ao modelo de gestão, entre outras influências, e por outro lado, os potenciais benefícios do uso dessas tecnologias, especialmente a Telessaúde, no Estado da Bahia, para ampliação do alcance das ações em saúde, surge a necessidade de uma melhor compreensão dessa incorporação. 


Pesquisador(es): Rosana Vieira Albuquerque
Coordenação: Prof. Dr. Eduardo Luiz Andrade Mota (ISC-UFBA)

Produção Científica
Produção Técnica - em elaboração

6. Análise de custo-efetividade do tratamento de doenças venosas crônicas (DVC) no Brasil

Objetivo Geral

Identificar as ações de promoção da saúde e de controle dos principais fatores de risco para as doenças venosas crônicas (DVC), efetivas e custo-efetivas na atenção primária no Brasil.


Pesquisador(es): Danielli Nunes de Oliveira Costa e Rafael Laranjeira Cerqueira
Coordenação: Prof. Dr. Sebastião Loureiro (ISC-UFBA)

Produção Científica - em elaboração
Produção Técnica - em elaboração

7. Oferta, Demanda e Acesso as Tecnologias de Diagnóstico por Imagem pelo Sistema Único De Saúde No Estado Da Bahia: Tomógrafo Computadorizado e Equipamento de Ressonância Magnética

Objetivo Geral

Conhecer e avaliar os aspectos envolvidos com a utilização de procedimentos diagnósticos por imagem, em particular os exames de Ressonância Magnética e Tomografia Computadorizada, visando contribuir para a gestão mais eficaz desses recursos no âmbito do SUS.


Pesquisador(es): Gabriela Rebouças Ferreira Abreu
Coordenação: Prof. Dr. Sebastião Loureiro (ISC-UFBA)

Produção Científica - em elaboração
Produção Técnica - em elaboração

8. Avaliação do impacto do tomógrafo computadorizado multidetectores no orçamento do Sistema Único de Saúde

Objetivo Geral

Estimar o impacto da incorporação do tomógrafo multidetectores no orçamento do Sistema Único de Saúde. O impacto orçamentário da tecnologia será avaliado, a partir da sua utilização na realização da Angiotomografia Coronariana, exame preventivo das Doenças Coronarianas.


Pesquisador(es): Ludmila de Sá Fonseca e Gomes
Coordenação: Prof. Dr. Sebastião Loureiro (ISC-UFBA)

Produção Científica - em elaboração
Produção Técnica - em elaboração

9. O que é inovação em Saúde Pública?

Objetivo Geral

Caracterizar a Inovação em Saúde Pública.


Pesquisador(es): Poliana Rebouças de Magalhães
Coordenação: Prof. Dr. Luis Eugenio de Souza (ISC-UFBA)

Produção Científica
Produção Técnica - em elaboração

10. Desempenho do Programa Nacional de Prevenção e Controle da Hipertensão Arterial e do Diabetes em Unidades de Saúde da Família e Unidades Básicas Tradicionais

Objetivo Geral

Avaliar comparativamente o desempenho do Programa Nacional de Prevenção e Controle da Hipertensão Arterial e do Diabetes em Unidades de Saúde da Família e Unidades Básicas Tradicionais.


Pesquisador(es): Luis Eugenio de Souza
Coordenação: Prof. Dr. Luis Eugenio de Souza (ISC-UFBA)

Produção Científica - em elaboração
Produção Técnica - em elaboração

11. Manejo das pessoas com hipertensão arterial sistêmica na atenção básica: estudo comparativo de unidades básicas tradicionais e unidades de saúde da família

Objetivo Geral

Avaliar os modelos de gestão da atenção primária (em unidades básicas tradicionais e em unidades de saúde da família) na prevenção, manejo, adesão e controle da hipertensão arterial.


Pesquisador(es): Luis Eugenio de Souza e Fabiana Raynal
Coordenação: Prof. Dr. Luis Eugenio de Souza (ISC-UFBA)

Produção Científica - em elaboração
Produção Técnica - em elaboração

12. A Dinâmica de Inovação no Setor de Vacinas e o Desenvolvimento de Candidatas à Vacina contra Dengue

Objetivo Geral

Caracterizar a adinâmica de inovação no setor de vacinas a partir das empresas envolvidas nosprocessos de desenvolvimento tecnológico e de produção, e dos padrões deregulação e de apropriação das tecnologias de imunização, utilizando comoestudo de caso o desenvolvimento de candidatas à vacina contra dengue.


Pesquisador(es): Bethânia de Araújo Almeida
Coordenação: Prof. Dr. Sebastião Loureiro (ISC-UFBA)

Produção Científica
Produção Técnica - em elaboração

13. CEIS, tecnologias e modelo de atenção à saúde

Objetivo Geral

Discutir o papel das empresas produtoras de tecnologias de saúde na conformação do modelo de atenção do SUS.


Pesquisador(es): Luis Eugenio de Souza
Coordenação: Prof. Dr. Luis Eugenio de Souza (ISC-UFBA)

Produção Científica - em elaboração
Produção Técnica - em elaboração

14. Avaliação da cobertura assistencial e do desempenho de equipamentos médicos de diagnóstico por imagem no Sistema Único de Saúde

Objetivo Geral

Propor uma metodologia baseada em indicadores para avaliar acobertura e desempenho dos equipamentos de diagnóstico por imagem.


Pesquisador(es): Diana Lima dos Santos
Coordenação: Prof. Dr. Ricardo Kalid, Prof. Dr. Luis Eugenio de Souza e Prof. Dr. Handerson Dourado Leite

Produção Científica - em elaboração
Produção Técnica - em elaboração

15. Desenvolvimento e Aprimoramento de Metodologias de Avaliação Econômica em Saúde a partir de Estudos Desenvolvidos no Âmbito do Instituto de Ciência, Tecnologia e Inovação em Saúde

Objetivo Geral

Aperfeiçoar e propor o desenvolvimento de métodos de avaliação econômica de tecnologias em saúde, utilizando como base empírica projetos selecionados do INCT – Saúde sediado no Instituto de Saúde Coletiva da UFBA.


Pesquisador(es): Fabiana Raynal
Coordenação: Prof. Dr. Naomar Monteiro de Almeida Filho (ISC/UFBA)

Produção Científica - em elaboração
Produção Técnica - em elaboração

16. Avaliação econômica de duas tecnologias em saúde do Programa Estadual de Rastreamento do Câncer de Mama na Bahia

Objetivo Geral

Analisar o custo-efetividade de duas tecnologias em saúde (Tradicional e a Itinerante) do Programa de Rastreamento do Câncer de Mama na Bahia, período de janeiro de 2012 a dezembro de 2014.


Pesquisador(es): Maria Cristina de Camargo Fonseca
Coordenação: Prof. Dr. Sebastião Loureiro (ISC-UFBA)

Produção Científica - em elaboração
Produção Técnica - em elaboração

17. Relação público-privado na saúde: o repasse de recursos públicos para clínicas privadas de bioimagem conveniadas ao SUS em Salvador-BA

Objetivo Geral

Identificar e analisar astendências no repasse de recursos públicos em saúde para a realização de examesde bioimagem, comparando os serviços da rede do SUS e os serviços privadocontratado pelo SUS, em Salvador/BA, no período de 2005 a 2012.


Pesquisador(es): Gimena Melo Santos
Coordenação: Prof. Dr. Sebastião Loureiro (ISC-UFBA)

Produção Científica - em elaboração
Produção Técnica - em elaboração

18. Avaliação da parametrização para tomógrafos computadorizados e ressonância magnética no âmbito do SUS

Objetivo Geral

Considerando a parametrização existente (portaria no. 1.631/2015) para tais tecnologias e utilizando indicadores como: capacidade nominal e efetiva, grau de utilização e eficiência, bem como taxa de utilização de exames relacionadas aos equipamentos e de TC e RM, esta pesquisa analisou o desempenho e o dimensionamento da oferta dos equipamentos e exames de imagem selecionados, tendo por base a relação entre oferta e demanda e a disponibilização destes no âmbito do SUS.


Pesquisador(es): Luis Eugenio Portela Fernandes de Souza, Diana Lima dos Santos
Coordenação: Prof. Dr. Luis Eugenio de Souza (ISC/UFBA)

Produção Científica - em elaboração
Produção Técnica - em elaboração

19. Relação entre iniquidades e inovação em saúde: foco em Qualidade-Equidade e Competência Tecnológica Crítica no SUS

Objetivo Geral

Este projeto busca responder algumas das questões relativas a estratégias para redução das iniquidades em saúde mediante a melhoria da

qualidade do cuidado, notadamente no que se refere à qualidade-equidade e à competência crítica no campo de aplicação de tecnologias de saúde. Também pretende ampliar o escopo de projeto desenvolvido pelo ISC-UFBA de avaliação do programa Aqui Tem Farmácia Popular, que teve como objetivos avaliar a efetividade, o impacto econômico e a abrangência do Programa no que tange aos medicamentos para diabetes e hipertensão. Além disso, o projeto se propõe a discutir o uso das tecnologias de informação e comunicação na constituição das redes de atenção à saúde, mais especificamente avaliando a implantação do Prontuário Eletrônico do Cidadão e seu impacto na organização dos serviços, notadamente no fluxo de usuários e informações dentro das unidades e entre os estabelecimentos de saúde. Por fim, o projeto almeja avaliar a experimentação de estratégias inovadoras de formação profissional em saúde, baseadas na problematização e na aprendizagem ativa


Pesquisador(es): Luis Eugenio Portela Fernandes de Souza, Érika Aragão, Naomar de Almeida Filho, Laís Costa
Coordenação: Prof. Dr. Naomar Monteiro de Almeida Filho (ISC/UFBA)

Produção Científica
Produção Técnica - em elaboração

20. Avaliação da efetividade, impacto econômico e abrangência do programa Aqui Tem Farmácia Popular

Objetivo Geral

O projeto tem o objetivo de avaliar o impacto do Programa Aqui Tem Farmácia Popular (ATFP) sobre os indicadores de internação hospitalar e mortalidade por diabetes e hipertensão em nível municipal, utilizando dados públicos. Para alcançar este objetivo, foi desenvolvido um modelo em painel com efeito fixo com dados agregados para 5.507 municípios. Os resultados apontam que o programa ATFP contribuiu para reduzir o número de internações, tanto para diabetes quanto para hipertensão entre 2006 e 2015 (13 e 23% respectivamente). Os efeitos sobre a mortalidade foram inconclusivos


Pesquisador(es): Luis Eugênio Portela Fernandes de Souza, Sebastião Loureiro, Gervásio Ferreira dos Santos, Jane Mary de Medeiros Guimarães, Kionna Oliveira Bernardes Santos, Marcio Santos da Natividade, Vinícius de Araújo Mendes, Erika dos Santos Aragão
Coordenação: Profa. Dra. Erika Aragão ((ISC/UFBA))

Produção Científica - em elaboração
Produção Técnica - em elaboração


Instituto de Saúde Coletiva • Universidade Federal da Bahia • Rua Basílio da Gama, s/n • Campus Universitário do Canela • 40.110-040 • Salvador-Bahia • +55 71 3283-7441 / 3283-7442
© 2021 Observatório de Análise Política em Saúde. Todos os direitos reservados.